Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Leandro Resende: "A história que Molica conta é excelente e, sobretudo, um alerta"

separador Por Fernando Molica em 02 de janeiro de 2022 | Link | Comentários (0)

O querido camarada Leandro Resende escreveu esta resenha bem legal sobre 'Elefantes no céu de Piedade':

Tirei essa foto sob o céu do Largo São Francisco da Prainha e guardei para o momento em que, enfim, tivesse lido sobre o que havia no céu de Piedade a ponto de elefantes voarem por lá. Como lá e cá, à época dos fatos, como em todo o país hoje, imensos Dumbos serpenteiam pelo ar por mais que os ignoremos. Os mamíferos sobre nossas cabeças vem de uma piada mineira que meu compadre @fmolica ressignifica para situar seu romance na ditadura militar. A piada, ele explica no livro, também nos revela como permanecemos atônitos e coniventes diante do arbítrio, que é indiscreto como só poderiam ser os paquidermes suburbanos do meu parceiro.

O livro é um thriller, acelerado, em que toda a ação se constrói na tensão que há entre o novo morador do quartinho de empregada (e faz pensar na própria existência do local e do termo, o espaço onde fica o que tentamos ignorar) e a vida feliz de uma família de classe média, vascaína e contente com seu Opala dos tempos do milagre econômico. O morador é contestador e faz o personagem mais novo desconfiar que, afinal, havia algo estranho em Piedade e no país.

Mais não digo, porque o livro vai de uma tacada só. Há, ainda, uma singela reflexão sobre o lugar da memória nesses tempos bicudos, valeria o escrito só por ela.

O velho Marx diz que a história se repete, primeiro como tragédia, depois como farsa. Tem um sentido histórico aí que não me cabe, e gente mais capacitada do que eu sabe discutir os conceitos da frase no detalhe. Mas o que a vida brasileira tem mostrado é que se repete, sim, mas primeiro como tragédia, depois como prolongamento de uma mesma tragédia. Da nossa insistência em ignorar violências e violações variadas, imensas como elefantes no céu.

A história que Molica conta é excelente e, sobretudo, um alerta.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet janeiro 2022
bullet dezembro 2021
bullet novembro 2021
bullet outubro 2021
bullet agosto 2021
bullet junho 2021
bullet maio 2021
bullet abril 2021
bullet maio 2020
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site