Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Décio Torres: "Linguagem bastante atrativa ao leitor, por vezes com tons poéticos"

separador Por Fernando Molica em 21 de dezembro de 2021 | Link | Comentários (0)

Escritor, crítico literário, professor de literatura da UFBA, poeta (lançou 'Paisagens interiores' pela Editora Patuá), Décio Torres publicou no Facebook esse texto pra lá de gentil sobre 'Elefantes no céu de Piedade'. Aí vai a resenha:

O jornalista Fernando Molica é também um excelente romancista. Seu novo livro, "Elefantes no céu de Piedade", lançado pela Editora Patuá, conta a história de uma família classe média que mora no subúrbio carioca de Piedade, cuja vida é alterada pela chegada de um primo, vindo do Espírito Santo. Mas não há qualquer interferência divina de piedade do espírito santo sob o destino do primo. O que paira no ar o tempo todo é a presença simbólica de elefantes no céu que todos se recusam a ver, preferindo estabelecer um pacto de silêncio criminoso.

O enredo é narrado sob a perspectiva de um garoto de 11 anos na época da ditadura militar no Brasil. Essa visão de um momento histórico sob a perspectiva infantil nos remete ao primoroso filme de Edgard Navarro, "Eu me lembro" (2005), que se utilizou da mesma estratégia narrativa.

No romance de Molica, o garoto vai, aos poucos, perdendo sua inocência à medida em que vai descobrindo as mentiras fabricadas pelo novo governo, nas quais todos ao seu redor acreditavam. Só após descobrir o envolvimento de membros de sua família nas ações contra a ditadura, o personagem narrador começa a desconfiar da história oficial inventada para o controle da população. Com uma linguagem bastante atrativa ao leitor, por vezes com tons poéticos, o narrador nos conduz a um tempo antigo em que cenários de uma novela escondiam uma luta silenciosa pela liberdade e pela recuperação de direitos civis subtraídos.

Destaca-se, no livro, o capítulo sobre a memória como construção, como exercício de criação e ficção, e a tentativa do escritor de ser fiel aos fatos, mesmo sabendo que eles passam pelos filtros da memória através dos anos: "O passado é vivo, mutável, escorregadio. Não somos, ao reconstruirmos histórias, as mesmas pessoas que as vivenciaram ou testemunharam" (p. 138). Apenas pela leitura deste capítulo já vale a pena lê-lo. Mas a história de Cacá e seu primo sobre um período fatídico de nossa História nos arrebata e justifica toda sua leitura, do início ao fim.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet dezembro 2021
bullet novembro 2021
bullet outubro 2021
bullet agosto 2021
bullet junho 2021
bullet maio 2021
bullet abril 2021
bullet maio 2020
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site