Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Neymar e a nossa intolerância

separador Por Fernando Molica em 24 de junho de 2018 | Link | Comentários (0)

Essa discussão em torno do Neymar revela, mais uma vez, o quanto estamos incapazes de ponderar, de debater, de trocar ideias. Virou um outro pega-pra-capar, um outro coxinhas versus mortadelas, camisas amarelas contra vermelhas. Caramba, calma. O cara, cracaço, joga pacas, é de longe o melhor jogador do time. Isso não impede que ele exagere ao cavar faltas, que demonstre imaturidade e incapacidade de ser contrariado, que, por ser tão irritadiço, tome cartões amarelos desnecessários, que podem atrapalhar a trajetória da seleção.

O caso Neymar foi transformado em uma peleja entre libertários e repressores, entre os que veem no cara uma reencarnação dos ideais de 1968 e os defensores da ordem, do progresso, do simsinhô. A polarização impede conversas, dificulta reflexões, anula qualquer possibilidade de debate. Duvido que os defensores do camisa 10 considerem que ele é assim tão espetacular e perfeito, tenho certeza que aqueles que o criticam de forma pontual - estou entre estes - sabem o quanto é cara é bom de bola, e fundamental. Com suas qualidades e problemas, Neymar é um cara contraditório, não tentemos reduzi-lo a alguém menor, linear, previsível. E torçamos por ele, pela seleção.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site