Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Taxistas que ajudam a concorrência

separador Por Fernando Molica em 29 de junho de 2015 | Link | Comentários (0)

Estação Carioca, O DIA, 15/6.

Tá legal, amigos taxistas, eu aceito o argumento de vocês e concordo que aquele serviço que oferece carros e motoristas para pequenas corridas -- o Uber -- é uma forma de concorrência que tenta driblar a legislação. Mas, além de reclamar, vocês deveriam refletir um pouco sobre o que gerou a aceitação do novo sistema pelo público. Nem a fúria de um Eduardo Cunha é capaz de mudar uma lei como a da oferta e da procura, que sobreviveu até mesmo em países socialistas.

Vale lembrar que as vans também se valeram da precariedade do transporte público. O mau serviço prestado por ônibus (e trens, e metrô) é que viabilizou o chamado transporte alternativo. Volta e meia questionado sobre fórmulas para o sucesso empresarial, um antigo patrão, costumava recitar : "Descubra uma necessidade e a preencha." Foi o que fizeram os antigos topiqueiros, é o que faz o pessoal do Uber.
Caros, desculpe, mas muitos de vocês confundem prestação de serviço com favor, acham que dão carona a quem pega um táxi. Nem sempre o passageiro quer conversar, trocar ideias sobre maioridade penal ou Bolsa Família. A recusa em levar o cliente a determinados lugares, corridas "no tiro", uso da bandeira 2 fora do horário e a busca de trajetos mais longos são outros pecados mortais. A lista de problemas inclui a resistência em acionar o ar condicionado e a insistência em manter o rádio ligado, pior, na estação de preferência do motorista. Não faz muito tempo, era praxe o taxista perguntar ao usuário se ele queria ouvir a música, o jogo ou o culto religioso.

Pior que o rádio é o DVD/TV. Ninguém dá bola para a resolução do Conselho Nacional de Trânsito que restringe o uso desses aparelhos instalados na parte dianteira do carro -- todos deveriam ter um mecanismo para impedir sua utilização quando o veículo estiver em movimento. Além de incomodar o passageiro, a TV distrai o motorista, não dá para prestar atenção no trânsito na hora do gol ou nas cenas em que o o casal da novela resolve partir para uma corrida de submarinos.

Placas nas ruas indicam a presença de radares, mas muitos taxistas fazem questão de instalar aquele mecanismo que apita ao perceber a aproximação dos pardais de controle de velocidade. Os sucessivos "piiiis" fazem lembrar a trilha sonora de uma UTI. Volta e meia, os alertas são interrompidos pelo grito de "Táxi!" acionado por aplicativos de celulares. Enfim, é justo que vocês briguem por seus direitos, mas não custa melhorar o serviço prestado. Até porque, como diz um outro samba, camarão que dorme a onda leva.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site