Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Apenas um comercial de perfumes

separador Por Fernando Molica em 29 de junho de 2015 | Link | Comentários (0)

Estação Carioca, O DIA, 8/6.

A reação negativa de alguns setores ao comercial da rede O Boticário que trata casais homossexuais com naturalidade faz lembrar uma tirada do ex-deputado Roberto Jefferson. Em 1996, sua escolha para a função de relator de projeto que previa a união civil entre pessoas do mesmo sexo assustou a militância gay, já que ele não demonstrava qualquer simpatia por propostas mais ousadas.

Jefferson, porém, surpreendeu os ativistas e se mostrou favorável à causa. Isto, depois de fazer uma pergunta irônica à autora do projeto, a então deputada Marta Suplicy: "A proposta prevê união obrigatória com pessoas do mesmo sexo? Se for aprovada, eu só vou poder me casar com um outro homem?" Como a resposta -- claro -- foi negativa, ele não viu qualquer problema no projeto, que, por pressões conservadoras, acabaria retirado da pauta.

Não custa repetir que nem o mais radical defensor dos direitos dos homossexuais quer fazer com que homens passem a ficar com homens, e mulheres com mulheres. Também não vale dizer que os donos da empresa de cosméticos tentam estimular a mudança na orientação sexual dos brasileiros -- eles querem apenas vender perfumes. Achar que a publicidade pode influenciar em algo tão íntimo seria o mesmo que admitir que um rubro-negro queira, depois de submetido a uma intensa campanha, jogar no lixo a camisa do Flamengo e vestir a do Vasco. O Boticário também não pode ser considerado culpado se, depois de assistir ao comercial, algum Robernildo tenha pensado em trocar sua Florisbela por um Waldemar. Neste caso, o filme -- e cito de novo o Roberto Jefferson -- terá apenas contribuído para despertar instintos mais primitivos que estavam adormercidos no tal sujeito.

A insistência na condenação de aspectos da vida privada costuma servir como uma espécie de cortina de fumaça lançada por políticos que têm muito a esconder na esfera pública. Quem insiste em falar na defesa dos valores da família tende a defender mesmo os interesses concretos de sua própria família. Em 1996, o então deputado Severino Cavalcanti chamou de "excrescência" o projeto de união civil. Anos depois, flagrado numa orgia de denúncias, ele se viu obrigado a renunciar ao mandato. No mais, chega ser risível a decisão do Conar, conselho que autorregulamenta a publicidade, de examinar o comercial de O Boticário. Pelo visto, o passo seguinte será julgar anúncios que tratem como normais relações amorosas entre negros e brancos, israelenses e palestinos, atletas olimpícos e paralímpicos, flamenguistas e vascaínos.



Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site