Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

O baião de dois Gonzagas

separador Por Fernando Molica em 18 de dezembro de 2012 | Link | Comentários (0)

Coluna Estação Carioca, jornal O DIA, 21/11:

Você já foi ver 'Gonzaga - de pai pra filho?' Não? Então vá. Ao abordar a delicada e tensa relação entre Luiz Gonzaga e Gonzaguinha, o diretor Breno Silveira construiu uma bela história sobre a dificuldade de se estabelecer vínculos mesmo entre pessoas que se amam. Pai e filho passam boa parte do filme se revezando no papéis de touro e de toureiro, atacam e se defendem com igual força e determinação. Como na música de Gonzaguinha, vão, de peito aberto, sangrando histórias de abandono, renúncias e frustrações. Dores que amargam que nem jiló.

O roteiro de Patrícia Andrade utiliza aquela que seria a definitiva conversa entre pai e filho como mote para a apresentação da vida e da construção da obra de Gonzaga-pai. Há até uma justificativa dramática para o recurso -- o próprio Gonzaguinha tratou de gravar boa parte do encontro, uma violenta quase sessão de análise em que um parece prestes a jogar um divã virtual na cabeça do outro.

Ao apertar as teclas play e rec daquele gravador cassete, Gonzaga-filho antecipou o grito de "Ação!" que, décadas depois, marcaria o início das filmagens. Esse é um dos muitos méritos do longa-metragem: ao dar voz aos protagonistas -- dois grandes contadores de histórias em suas composições --, o filme adquire uma narrativa cúmplice em relação aos personagens.

'Gonzaga' permite um reencontro com muitas canções que, de diferentes maneiras, marcaram nossa relação com o País. É emocionante ver como Gonzaga-pai incorpora um Nordeste ao mesmo tempo sofrido, lírico e esperançoso, sentimentos que se fundem em 'Asa branca', talvez a mais doce de todas as músicas de protesto.

Vestido de vaqueiro, armado de uma sanfona, ele nos fez íntimo de um pedaço de nós mesmos, refez, em música, a brusca transição entre o rural e o urbano de nossa história. Gonzaga-filho fez um percurso quase oposto, não havia qualquer doçura em suas primeiras canções, panfletos diretos e explícitos; pedradas que não admitiam complacência com um comportamento geral que, de alguma forma, julgava cúmplice de suas desventuras.

Não há bandidos ou mocinhos na história, mas o contraponto da secura de um pai com o rancor de um filho; artistas que se julgam abandonados e que tentam construir uma convivência. Ao se reconciliarem, eles revelam que um encontro quase é sempre possível.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site