Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Quase 80 anos depois de sua morte, compositor Julio Reis volta pela mão da literatura

separador Por Fernando Molica em 18 de maio de 2012 | Link | Comentários (0)

Resenha publicada pela Revista Música Brasileira:

Um "acerto de contas", segundo o escritor Paulo Scott, na orelha do livro. Mas também uma declaração de amor a um avô e a um bisavô, a um Rio de Janeiro de começo do século passado, à música e à literatura.

Também uma reverência à relação filho-pai, "O inventário de Julio Reis" (Editora Record), do jornalista e escritor Fernando Molica, reabre as cortinas do passado para nos apresentar o compositor clássico Julio (Cesar do Lago) Reis, nascido em São Paulo (1863), que construiu família, carreira na música e no serviço público (foi funcionário do Senado), projeção e dissabores na então Capital Federal, onde viveu até sua morte, em 1933. Para quem não sabe (eu não sabia), Julio compôs "valsas, polcas, mazurcas, habaneras, quadrilhas, schottischs e tangos brasileiros". Criou peças religiosas e até uma "Marcha triunfal", executada em Roma nas comemorações do Jubileu do Papa Leão XIII.

Praticamente autodidata - só havia estudado música com a mãe, na infância - Julio contou, em vida e também depois de sua morte, com simpatias, aplausos, intrigas e até indiferenças. Em nome do pai, o filho do compositor da emblemática "Vigília d´armas" - que na esteira do lançamento da obra volta a ser executada até no Instituto Villa- Lobos, - Frederico, retoma o "acerto de contas" com a vida, a memória e a obra de Reis, e em defesa dela chega a enviar cartas para um general-presidente da República. Fizera uma caixa preta de madeira para guardar partituras manuscritas, livros e recortes de jornais, e lançou-se ao inventário da herança que, sem saber, estava legando ao seu neto.

Julio Reis era erudito, de enaltecer Carlos Gomes e Villa-Lobos e de torcer o nariz para os ritmos populares como o samba, o maxixe e os batuques que começam a embalar o Rio a partir do Estácio e da Praça Onze, "música fácil, que falava aos instintos mais baixos". Em nome do avô, o acerto se impõe à história da criação musical e cai nas mãos de Fernando Molica, neto de Frederico, bisneto de Julio e um dos mais atentos escritores dos nossos dias (comprove lendo também "O ponto de partida" ou "Notícias do Mirandão"). O resultado é cativante, mas não vou contar. Só lendo o livro ou ouvindo as melodias.

Luís Pimentel


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site