Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Primeiro mundo de verdade

separador Por Fernando Molica em 12 de setembro de 2011 | Link | Comentários (2)

Coluna Estação Carioca, jornal O DIA, 7/9/2011.

Entre as péssimas contribuições do governo Collor está a vulgarização da expressão "de primeiro mundo". Virou moda utilizá-la para definir o que parece semelhante a produtos, serviços e instituições existentes em países desenvolvidos. Nada contra a busca de equiparação, o problema foram os exemplos utilizados. Passou-se a usar o elogio apenas para o que transmite a impressão de luxo e suntuosidade: shoppings, carros de luxo, prédios comerciais, condomínios fechados, modernos estádios de futebol. Isto tudo passou a ser tratado como "de primeiro mundo".

Há ostentação em países ricos, mas não é o consumo e a exposição do luxo que os fazem ser de primeiro mundo. A necessidade de exibir riqueza é mais característica de subdesenvolvidos -- o mau gosto do palácio do Kadhafi confirma. O que define o alto grau de civilização são itens mais modestos. De primeiro mundo não é o país onde toda a população tem carro, mas aquele que oferece um transporte público de qualidade para todos. Melhor do que ter carro e ficar duas horas engarrafado é pegar o metrô e chegar em casa em 30 minutos. Na Europa, muita gente até prefere um meio de transporte mais simples e saudável, a bicicleta.

Ainda mais sofisticado é ter cidades com rios e praias limpos, o que só é possível se o saneamento básico for levado para todos. Ser de primeiro mundo é privilegiar o público ao privado, é compreender que, numa sociedade democrática, todos têm direitos iguais -- o voto do pobre vale tanto quanto o do rico.

País de primeiro mundo é aquele em que motoristas respeitam pedestres e ciclistas, não avançam sinal. Por lá, não se fala em "indústria de multas", há o reconhecimento de que, sem a perspectiva de punição, até o mais pacato motorista japonês corre o risco de virar um dos trogloditas que enfrentamos nas ruas. Respeitar sinais vermelhos e limites de velocidade é chato, mas necessário quando se pensa mais no coletivo do que no individual.

Entre os tantos serviços que distinguem países desenvolvidos do nosso o mais chocante talvez seja a educação. Eles sabem que sem educação pública de qualidade não teriam se tornado o que são. A visita a uma escola pública de um país desenvolvido deveria constar de roteiros turísticos. O que se vê, no geral, são instituições parecidas com nossas melhores escolas particulares. Com raras exceções, é nas escolas públicas que todos estudam, é nelas que se começa a romper a lógica que, entre nós, tantas vezes condena filhos de pobres à pobreza. Como por lá quase todos estudam em escolas públicas, a pressão para que elas sejam boas é bem maior. Fica a sugestão: a próxima vez que um político afirmar que uma besteira qualquer feita por seu governo "é de primeiro mundo", pergunte se as escolas públicas de sua cidade também são dignas do elogio.


2 Comentários Enviados

Ótimo texto! Penso muito nisso, "xará"!
O pontapé inicial pra perder essa interpretação equivocada do que é "de primeiro mundo" não pode ser outro, só a educação. Clichê falar de educação? Talvez, mas é a verdade e temos que ter orgulho em persistir nela.
"De primeiro mundo" é eficiência, simplicidade e objetividade.
Só a educação faz a gente investir no que vai além do que se vê e ignorar a ostentação, vaidade em ter o que é belo apenas para os olhos.

separador

Gostei muito desse texto, retrata perfeitamente a importância que se dá a Educação no Brasil.

separador

Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site