Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Vidas perdidas nos ônibus

separador Por Fernando Molica em 17 de novembro de 2010 | Link | Comentários (0)

Coluna Estação Carioca de hoje, jornal 'O Dia':

O Bilhete Único Carioca colaborou para ressaltar uma situação antiga e absurda. O problema maior não é o tempo-limite -- duas horas depois do primeiro embarque -- para a utilização do bilhete em outro ônibus. É razoável supor que a situação será contornada, meia hora a mais não vai quebrar os donos de ônibus, agora concessionários do serviço.

Escândalo mesmo é uma pessoa levar mais de duas horas para chegar a um local de trabalho que fica em sua cidade. Na prática, muitos mofam até três horas dentro de ônibus. Se contarmos o tempo da volta, veremos que cariocas perdem quatro, cinco e até seis horas em deslocamentos obrigatórios e desconfortáveis.

É tempo demais, tanto sufoco não é justo. Alguém que fique cinco horas diárias dentro de ônibus terá perdido, no fim de um ano, 1.210 horas. Isto equivale a mais de 50 dias inteiros, de 24 horas. O cálculo só leva em conta dias úteis e ainda desconta um mês de férias. Dos 365 dias de um ano, 50 ficam pelo caminho. Tempo em que o trabalhador ou trabalhadora não pôde namorar, ver TV, jogar conversa fora, ir a um cinema, brincar com os filhos, conferir se eles fizeram a lição de casa. Este tempo de vida roubado torna inútil, para muita gente, a ampliação dos horários das creches, inviabiliza a presença dos responsáveis em reuniões escolares.

A ineficiência do transporte público tem consequências graves para a economia e, principalmente, para a vida dos cidadãos. A precariedade contribui para a favelização das regiões próximas ao Centro e até para a permanência de uma lógica de trabalho que só deveria existir em casos excepcionais: não faz muito tempo, para fazer uma reportagem, embarquei num trem para Austin no fim de tarde de uma sexta-feira. Conheci várias mulheres -- babás, empregadas domésticas -- que voltavam para casa. Só faziam isto uma vez por semana, o transporte caro e ruim contribuía para que elas dormissem de segunda a sexta no trabalho. Uma situação absurda: viam mais os filhos dos patrões que os seus.

O Bilhete Único mostrou que não basta diminuir o peso das passagens no bolso, é preciso criar alternativas rápidas e confortáveis de deslocamento: trens e metrô têm que ser melhorados, o corredor de ônibus expresso na Avenida Brasil precisa sair do papel, é fundamental dar um jeito nas barcas. Os investimentos para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas representam uma ótima chance para dar um jeito numa situação que maltrata muita gente.


Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site