Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

setembro 2010 Archives

Antônio Torres e essa nossa terra

separador Por Fernando Molica em 03 de setembro de 2010 | Link | Comentários (3)

AT.jpg

A Universidade Estadual de Feira de Santana vai promover, nos próximos dias 8 e 9, um caprichadíssimo seminário para discutir a obra de Antônio Torres, baiano do Junco - hoje Sátiro Dias -, autor de livros que carregam a elegância de Didi, a eficiência de Pelé, a criatividade de Garrincha e a complexidade que envolve as relações entre um time e sua torcida. Não é pouco.

Li AT pela primeira vez ainda na faculdade, quando tomei um baita susto ao percorrer Um cão uivando para a lua. Sim, percorrer é um bom verbo para tentar traduzir o impacto deste romance de estreia. Reli-o há poucos anos, o nocaute se repetiu. Neste e em outros livros, AT criou uma obra pra lá de consistente, difícil de ser enquadrada até pelos mais notórios coladores de rótulos.

Seus romances podem ser talvez caracterizados por uma permanente tensão - seu regionalismo conflita com o urbano, com o choque causado pela convivência entre mundos tão diferentes. AT não tem pena de seus personagens, joga sobre eles a responsabilidade de resolver dilemas entre cidade e sertão, lucidez e loucura, delírio e realidade: eles que tratem de se virar diante de conflitos insanáveis, como o que contrapõe civilizações tão distintas, abordadas em seus romances de caráter histórico.

Não dá para se tentar aplicar em AT a lógica academicista tão recorrente que delira diante de supostas transgressões narrativas, que uiva ao perceber tentativas de execução do crime perfeito. aquele que jogará o enredo na lata de lixo da história. Como ocorre nos grandes escritores, em AT, trama e maneira de contá-la fazem parte de um mesmo todo, um todo não monolítico, tenso, mantido vivo pela mão de um autor que não tem medo da ousadia, do salto sem rede.

Algoz e cúmplice de seus personagens, AT também se arrisca na construção de romances que, como no melhor jazz, envolvem e desafiam. A beleza de um tema é logo quebrada pelo risco de um improviso de tirar o fôlego, que faz duvidar da capacidade do músico de, lá na frente, retomar o fio da meada. AT consegue aliar a experiência clássica de construção do romance com uma invejável capacidade de renová-la.

Ou seja, o programão da semana que vem está no interior da Bahia.


NARRATIVAS E VIAGENS DO JUNCO AO MUNDO - 70 ANOS DE ANTÔNIO TORRES

8 e 9 de setembro de 2010

Local: Auditório 1 - Módulo 1 - UEFS


PROGRAMAÇÃO:

Dia 8 de setembro - quarta-feira - Manhã

8h30 - Credenciamento dos participantes

9h Abertura:

A trajetória do escritor - Diálogo com Antônio Torres

Interlocutores: Leni David e Carlos Mascarenhas

Coordenação: Aleilton Fonseca

9h50h - Hora do cafezinho


10h - Mesa: Aspectos temáticos da ficção de Antônio Torres

Coordenação: Adeítalo Manoel Pinho (UEFS)

A expansão das fronteiras literárias no Junco de Antônio Torres

Ivana Teixeira Figueiredo Gund (UNEB)

Visões da terra e canção popular no romance O cachorro e o lobo

Leni David (UEFS)


Sonhos quixotescos e jogos narrativos: atalhos poéticos em Carta ao bispo

Eugênia Mateus de Souza (UNEB).

A desconstrução da identidade nacional na construção de O nobre sequestrador

Benedito Veiga (UEFS)

Dia 8 de setembro - quarta-feira - tarde

13h50 - Entrada no Auditório

14h às 17h - Oficina Literária: "Para gostar de ler e ouvir" - com Antônio Torres

17h - Sessão de autógrafos de livros do autor

Dia 9 de setembro - quinta-feira - Manhã

8h45 Entrada no Auditório

9h - Mesa: "Nosso" Querido Canibal: Narrativa, deslocamentos e imagens

Coordenação: Roberto Henrique Seidel (UEFS)

Hospitalidade e canibalismo na literatura de Antônio Torres

Carlos Mascarenhas (UFPE)

Tradição e contemporaneidade: deslocamentos do narrador em Meu querido canibal

Francisco Assis Miranda Mota (UNIJORGE)

Imagens inaugurais e cenas urbanas: recorrências identitárias em Meu querido canibal

Elvya Shirley Pereira (UEFS)

10h20 - Hora do cafezinho


10h30 - Comunicações: Antônio Torres: ficção, situações e vivências

Coordenação: Rosana Ribeiro Patrício (UEFS)


Essa terra: uma terra de lembranças

Mayara Michele Santos de Novais (PpgLDC-UEFS)

"Essa terra me enxota": deslocamento e fragmentação do sujeito no romance Essa terra

Edinage Maria Carneiro da Silva (Esp. Est. Lit.-UEFS)

A travessia pela cidade natal e a metrópole moderna em Antônio Torres

Rafaela Giovana Lima Santana (PpgLDC/UEFS)

Identidades fragmentadas - o olhar profícuo Pelo fundo da agulha

Ulisses Macêdo Júnior (PpgLDC/UEFS)

Caminhos da narrativa: uma leitura de O nobre sequestrador

Maria Goreth Figueredo Vasconcelos (PpgLDC-UEFS)

Representação da mulher nordestina no conto "O dia de São Nunca"

Jeane Freitas dos Reis(IC-Fapesb-UEFS)

Dia 9 de setembro - quinta-feira - tarde

13h50 - Entrada no Auditório


14h - Comunicações: Antônio Torres: comparações, diálogos e inserções

Coordenação: Francisco Ferreira de Lima (UEFS)

Sátiros d'Essa Terra releem Antônio Torres, o caboclo setenta

Cristiana da Cruz Alves (PPGCC-UNEB)

Por um pé de feijão e por um pedaço de chão: diálogos entre o conto de Antônio Torres e "Santana quemo-quemo" de Antônio Carlos Viana

Tatiane Santos de Araújo (PpgLDC-UEFS)

O indígena na cultura brasileira: estudo comparativo de Meu querido canibal e A confederação dos tamoios

Ana Célia Coelho (IC-Probic-UEFS)

Cunhambebe ou Peri? Duas faces de um mesmo mito

Andreia Ferreira Alves Carneiro (PpgLDC -UEFS)

A trilogia de Antônio Torres nos intercalços da migração

Amanda Silva (PpgLDC-UEFS)

As representações do sertão nos contos "Por um pé de feijão", de Antonio Torres, e "O cavaquinho", de Miguel Torga.

Marcelo Brito da Silva (PpgLDC -UEFS)

15h45 - Hora do cafezinho

16 h - Mesa: O conto de Antônio Torres

Coordenação: Roberto Henrique Seidel (UEFS)

Memória e infância em Meninos, eu conto

Thiago Lins da Silva (PpgLDC-UEFS)

Os móbiles da memória em Meninos, eu conto

Aleilton Fonseca (UEFS)

16h40 - Encerramento: Homenagem a Antônio Torres - Palavras finais

17h00 - Lançamento do livro:

Espaço nacional, fronteiras e deslocamentos na obra de Antônio Torres

(Organizadores: Roberto Henrique Seidel & Cláudio Cledson Novaes)

Sessão de autógrafos de Antônio Torres



BG
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site