Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Copa de Literatura Brasileira

separador Por Fernando Molica em 24 de julho de 2009 | Link | Comentários (6)

O ponto da partida foi selecionado para participar da terceira edição da Copa de Literatura Brasileira, uma competição baseada no Tounament of Books, inventado por uma revista americana em 2005. A proposta da Copa é curiosa - 16 romances lançados no ano anterior disputam jogos no esquema mata-mata de torneios de futebol. Os, digamos, jogos, são decididos por um juiz, um sujeito que lê os dois livros e decide qual é o melhor. A cada rodada, a metade dos participantes é eliminada.

A aparente banalidade da brincadeira - afinal, livros não foram feitos para jogar entre si - traz um componente interessante. Em primeiro lugar, puxa os livros para um campo mais arejado, menos contaminado pelo bolor que volta e meia exala de discussões literárias. Trata-se de uma Copa, não de um prêmio, de uma honraria. O vencedor da Copa não recebe nada além do título de vencedor - não há prêmios em dinheiro, troféus, sequer batatas.

É claro que os critérios de julgamento são variados, volta e meia alguns resenhistas deixam transparecer algum grau de rancor e, vá lá, preconceito. Mas a vantagem é que, na Copa, ao contrário do que acontece nos prêmios tradicionais, tudo isso fica explícito. Os críticos, de alguma forma, também são julgados, têm que deixar claro os critérios pelos quais deram a vitória a A e não a B. Seus textos são publicados e criticados pelos torcedores.

Parece engraçado dizer isso, mas, na Copa, os julgadores são obrigados a ler os livros. O que pode parecer óbvio nem sempre acontece nos prêmios - um dos mais prestigiados do país faz uma seleção de finalistas com base nas opiniões de centenas de críticos e acadêmicos. Até pelo volume de gente que participa da seleção, é impossível que todos leiam todos os livros. Nem as editoras teriam como enviar tantos exemplares para todo mundo. Ou seja: muitos dos livros escritos são eliminados sem que sequer tenham sido lidos.

Enfim, até por suas precariedades e pelo seu caráter meio amadorístico (amador aqui no melhor sentido da palavra), a Copa é divertida, ajuda a trazer os livros para a vida, estimula discussões - as brigas nas caixas de comentários tendem a ser apaixonadas, muitas e muitas caneladas são distribuídas. É bom, apesar das eventuais injustiças, ver que livros podem gerar tantas emoções.


6 Comentários Enviados

Sem dúvida.

separador

Amadorismo é exatamente a maior qualidade da Copa.

Por falar em Aposta, veja a promoção da Copa de Literatura no http://Arlequinal.com.br

separador

Sem dúvida, Moutinho. Acho que a Copa também ajuda a não nos levarmos muito a sério...
No mais, literatura é uma caixinha de surpresas. E, claro, tudo faremos pela vitória. Abs.

separador

O negócio é entrar na onda da Copa e criar uma bolsa de apostas.

separador

Boa sorte, camarada! Só não caia na armadilha de levar isso a sério...

separador

Gostei, Molica. É, de fato, amador no melhor sentido da palavra. Mantém a gente informado.
abraço

separador

Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site