Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Ética e democracia nas arquibancadas

separador Por Fernando Molica em 08 de junho de 2009 | Link | Comentários (2)

Isso talvez ajude a explicar as discretas, senão medíocres, participações do Botafogo nos últimos campeonatos e torneios. Pesquisa do Ibope encomendada pela agência Blinder revela que os alvinegros são (somos), entre os torcedores dos times cariocas, os mais solidários e os que mais se dizem ligados a alguns princípios éticos. Vejamos alguns trechos da pequisa, publicada, domingo passado, por "O Globo".

. 47% dos torcedores do Vasco concordam com a frase "O mundo é dos mais espertos". Entre tricolores e rubro-negros, os percentuais de concordância são, respectivamente, 40% e 38%. Entre os que torcem pelo Botafogo, o percentual é de 33%.

. 40% de vascaínos e flamenguistas aceitam a seguinte formulação: "Eu me preocupo primeiro comigo, depois com os outros". O percentual de tricolores que se identificaram com esta definição foi de 35%; de alvinegros, 34%.

. Outra frase: "As pessoas deveriam ajudar mais a resolver os problemas sociais". Entre os rubro-negros, a concordância é de 83%; entre vascaínos e tricolores, o percentual sobe um pontinho, 84%. Já no caso dos alvinegros, o índice dispara para 93%.

Bem, é claro que os resultados podem ser questionados. Nem sempre quem se diz ético se comporta como tal. De qualquer forma, fico orgulhoso com o resultado. Mas, sei não, temo que esses números confirmem uma tendência, um sentimento que tem me angustiado. No fundo, temo que nós, alvinegros, estejamos ficando meio velhos, meio fora do compasso, do ritmo do jogo que tem sido jogado. O que, diga-se de passagem, não chega a ser ruim. Há um momento em que é bom dizer que não se quer mais brincar.

O jogo - o futebol e tudo que o cerca - tem ficado meio avassalador: a mesma pesquisa revela que torcedores do rubro-negro representam inacreditáveis 58% da população carioca (não faz muito tempo, o percentual era de 50%). Isso, mais do que uma preferência clubística, revela uma lógica que segue na direção de um pensamento único, de uma hegemonia que zomba de quem não faz parte dela. Outro dia, um amigo escritor, gaúcho recém-chegado ao Rio, se dizia assustado com os flamenguistas que praticamente o constrangiam a adotar a simpatia pelo rubro-negro. "Aqui no Rio, você tem que ser Flamengo", diziam.

Sei não, a história revela que a tendência à unanimidade nunca dá certo, sempre deságua em algum fascismo. A diversidade - de idéias, de comportamentos, de visões de mundo - é que produz um certo equilíbrio. Somos todos arrogantes e vaidosos demais, tendemos ao autoritarismo, precisamos do contraditório para segurarmos nossas pontas. Pior, em grupo somos mais propensos à covardia, à prática de humilhar o diferente, aquele que não se enquadra, que se recusa a entrar na corrente pra frente.

Em resumo: a avalanche rubro-negra é uma ameaça à democracia.

Obs: o amigo gaúcho, colorado de coração, adotou o Botafogo aqui no Rio.


2 Comentários Enviados

Sem dúvida, meu caro. Os rubro-negros acabam sendo cultivados, formam um contingente que não pode ser desprezado. Outro detalhe: a geração Zico (os jovens que cresceram quando o Flamengo tinha aquele timaço) chegou ao poder nas redações. A imprensa, que já foi alvinegra (Saldanha, Oldemário, Sandro Moreyra) hoje é rubro-negra.


abs.

separador

Prezado Molica. Curioso seu post sobre futebol. Mas não me espanta esta adesão de peso ao Flamengo (não é o meu caso, ressalto logo, sou tricolor). A imprensa, de olho nas vendas, tenta transformar qq coisa q envolva o Flamengo em algo espetaculoso, que chama a atenção e mobiliza ainda mais a atenção. Os demais clubes cariocas, para nosso desespero, ficam nesta historinha de perder na final para os timecos horrorosos do Flamengo - os últimos tri-vices de Vasco e Botafogo já entraram para a história. Em suma, fatores como esses (não são os únicos, é claro) contribuem e muito para o inchaço daquela torcida. E daí só podemos lamentar. E cobrar de nossos 'dirigentes' a montagem de times sérios e eficientes para quebrar esta tradição que anda vigorando por aqui.

separador

Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site