Estação Piedade: a biografia de Fernando MolicaEstante: livros públicados pelo MolicaPáginas Amarelas: textos, artigos e outras palavras maisJulio Reis: Biografia, Músicas e PartiturasBlog: Pontos de PartidaFoto MolicaClique para voltar a página principalFoto Molicawww.fernandomolica.com.brEntre em contato com o Fernando MolicaInformações para imprensa

Blog

Pontos de Partida, o Blog do Fernando Molica

separador
BG

Projeto Lima Barreto

separador Por Fernando Molica em 27 de janeiro de 2009 | Link | Comentários (3)

"Essa expansão do metrô até a a Barra é um absurdo!" - a frase, dita pelo arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães, me fez dar um pulo na cadeira. Como assim? Estender o metrô até a Barra me parecia uma solução óbvia. O Sérgio, carioca apaixonado, nascido no Rio Grande do Sul, explicou a razão de sua implicância. O dinheiro para as obras seria muito mais bem empregado na transformação dos trens suburbanos em metrô. Haveria mais conforto, menores intervalos entre os trens. Argumento definitivo: no subúrbio moram uns três milhões de cariocas; na Barra, uns 150 mil.

Conversa vai e vem (estávamos num bar do Jardim Botânico, comemorando o aniversário de um de seus filhos, o amigo Tiago Petrik), desandamos a falar de subúrbio, do abandono absurdo dessa área da cidade. Formulador do Favela-Bairro, professor da FAU-UFRJ, ex-subsecretário municipal de Urbanismo, Sérgio saiu rabiscando papéis que encontrava na mesa, provando como a recuperação dos subúrbios é viável e fundamental para a cidade - não dá para se falar no Rio sem se conceber o diálogo e a convivência entre as zonas Norte e Sul.

No meio da conversa, gritou-se o nome de Lima Barreto, jornalista, escritor, mulato e suburbano de Piedade (meus avós, minha mãe e meus tios moraram na rua batizada com seu nome, lá mesmo no bairro). Sérgio então saiu do bar, foi para casa e, na madrugada de hoje, criou em seu blog Cidade Inteira o Projeto LIma Barreto, um "movimento social pela recuperação dos subúrbios da Zona Norte". Já pedi inscrição no Projeto, quero minha carteirinha. Por Lima Barreto, pelos subúrbios, pelo Rio.


3 Comentários Enviados

Creio que essa linha de metrô paralela a linha amarela a que você se refere é a linha 6, que sairia do Tom Jobim e iria até a Alvorada passando por Penha, Madureira e cruzando a Baixada de Jacarépaguá.

É, Molica. Conheço bem esse discurso contra a presença do suburbano nas praias da Zona Sul e da Barra. Discurso que acho tremendamente reacionário.

Embora ainda exista racismo no Brasil, a maioria das pessoas tem vergonha de demonstrar racismo, até porque tá dando cana. Mas pouca gente tem vergonha ou medo de demonstrar preconceito social ou de classe, o que eu acho tão feio quanto o racismo. E é nesse preconceito social que esse discurso se baseia.

Se o metrô sai tão caro assim, eu gostaria de ver uma estação de barcas perto do posto 8 e uma linha curta de ônibus integrando a estação ao terminal da Alvorada.

O que não dá é pra só chegar na Barra de carro, ônibus ou a pé.

Abração!

separador

O importante, Diego, é que possamos discutir esses projetos para a cidade, que possamos pensar a cidade. POr exemplo: o povo da Barra (nada contra, meus pais moram lá) não gostou do projeto de um metrô (ou VLT, sei lá) que ligava o bairro aos subúrbios, uma linha meio paralela à Amarela. Algo que facilitaria a vida do povo que vai trabalhar na Barra. Mas muita gente - a maioria talvez - quer se ligar à Zona Sul, não quer a presença dos suburbanos (é só lembrar como Ipanema chiou quando o Brizola inaugurou linhas de ônibus que faziam, pelo Rebouças, a ligação com São Cristóvão. Teve gente que, de cara limpa, defendeu que a linha não funcionasse aos fins de semana, pra não encher a praia de suburbanos!). . De uma certa forma permanece a idéia de diferentes cidades dentro de uma mesma cidade, o que é ruim pra todo mundo.

Abraços.

separador

Mas que maravilha, Molica! Eu, suburbano até as tripas, estou encantado com a ideia. O subúrbio está abandonado há tempos. Venho defendendo em meu blog (http://geografiassuburbanas.blogspot.com/) uma revitalização desse espaço da cidade. A prefeitura, que não recolhe IPTU em diversas áreas - que são de risco - no subúrbio, simplesmente parece ignorar a existência daquelas bandas.

Concordo que o investimento nos trens de subúrbio para transformá-los em Metrô é importante. Mas a Barra da Tijuca configura, hoje, como dizia meu bom mestre Milton Santos, uma nova centralidade na cidade. Tem cada vez mais gente saindo do suburbio pra ir trabalhar na Barra fazendo esse movimento pendular diário. Para esse suburbano, e eles são muitos, o metrô na Barra é fundamental.

Mas eu entendo o seu amigo Sérgio. Honestamente prefiro a ligação com a Barra através de Barcas. Muito mais barato do que o Metrô. Mas há que se lutar contra a pressão do capital imobiliárioque nãoquer estação de barcas na sua praia.

Desculpe se escrevi demais, mas é que o tema me interessa muito.

Abraços!

separador

Deixe seu Comentário











Type the characters you see in the picture above.

BG
Arquivo do Blog
bullet março 2020
bullet dezembro 2019
bullet novembro 2019
bullet outubro 2019
bullet agosto 2019
bullet julho 2019
bullet maio 2019
bullet abril 2019
bullet março 2019
bullet fevereiro 2019
bullet janeiro 2019
bullet outubro 2018
bullet setembro 2018
bullet agosto 2018
bullet junho 2018
bullet maio 2018
bullet abril 2018
bullet fevereiro 2018
bullet janeiro 2018
bullet dezembro 2017
bullet outubro 2017
bullet setembro 2017
bullet agosto 2017
bullet julho 2017
bullet junho 2017
bullet maio 2017
bullet abril 2017
bullet março 2017
bullet fevereiro 2017
bullet janeiro 2017
bullet dezembro 2016
bullet novembro 2016
bullet outubro 2016
bullet setembro 2016
bullet agosto 2016
bullet julho 2016
bullet junho 2016
bullet maio 2016
bullet abril 2016
bullet março 2016
bullet dezembro 2015
bullet novembro 2015
bullet outubro 2015
bullet agosto 2015
bullet julho 2015
bullet junho 2015
bullet abril 2015
bullet março 2015
bullet dezembro 2014
bullet junho 2014
bullet maio 2014
bullet abril 2014
bullet dezembro 2013
bullet novembro 2013
bullet outubro 2013
bullet setembro 2013
bullet agosto 2013
bullet julho 2013
bullet maio 2013
bullet abril 2013
bullet março 2013
bullet fevereiro 2013
bullet janeiro 2013
bullet dezembro 2012
bullet novembro 2012
bullet outubro 2012
bullet setembro 2012
bullet agosto 2012
bullet julho 2012
bullet junho 2012
bullet maio 2012
bullet abril 2012
bullet março 2012
bullet fevereiro 2012
bullet janeiro 2012
bullet dezembro 2011
bullet novembro 2011
bullet outubro 2011
bullet setembro 2011
bullet agosto 2011
bullet julho 2011
bullet junho 2011
bullet maio 2011
bullet abril 2011
bullet março 2011
bullet fevereiro 2011
bullet janeiro 2011
bullet dezembro 2010
bullet novembro 2010
bullet outubro 2010
bullet setembro 2010
bullet agosto 2010
bullet julho 2010
bullet junho 2010
bullet maio 2010
bullet abril 2010
bullet março 2010
bullet fevereiro 2010
bullet janeiro 2010
bullet dezembro 2009
bullet novembro 2009
bullet outubro 2009
bullet setembro 2009
bullet agosto 2009
bullet julho 2009
bullet junho 2009
bullet maio 2009
bullet abril 2009
bullet março 2009
bullet fevereiro 2009
bullet janeiro 2009
bullet dezembro 2008
bullet novembro 2008
bullet outubro 2008
bullet setembro 2008
bullet agosto 2008
bullet julho 2008
bullet junho 2008
bullet maio 2008
bullet abril 2008
bullet março 2008

separador bullet Arquivo Geral

separador bullet Blog Anterior (Online)
bullet Blog Anterior (PDF)
© Todos os direitos reservados. Todos os textos por Fernando Molica, exceto quando indicado. Antes de usar algum texto, consulte o autor. créditos do site    Clique para ver os créditos do site